15/09/16

Clube de Cinema apresenta: Circuito Cineclubista FINCAR - Festival Internacional de Cinema de Realizadoras




Dia 24 de setembro, sábado, a partir das 18h30,  o Clube de Cinema participa de mais um circuito cineclubista, em parceria  com o Festival Internacional de Cinema de Realizadoras (FINCAR).
O evento teve sua primeira edição em julho de 2016 em Recife (PE). Com foco de gênero na realização, o festival propõe uma investigação do processo criativo audiovisual feito por mulheres.
No intuito de descentralizar a exibição de filmes, a equipe do festival optou por estender o acesso de seus filmes selecionados para cineclubes de todo o Brasil, por entender essas iniciativas enquanto espaços de resistência artística e política. Sendo assim, a parceria também é uma forma de valorizar a existências dos mesmos.
A seleção que será exibida no Clube de Cinema é composta por curtas e médias-metragens brasileiros e estrangeiros, todos dirigidos por mulheres e foram incluídos no circuito através da escolha no ato de inscrição dos filmes no festival pelas próprias realizadoras.
O intuito da mostra é fomentar o debate em torno do cinema e a mulher que observa e é observada.
Confira a programação:
The Acadian Girl (Dir. Gabrielle Provost/ 6"/ Canadá)
Na tradicional queima de fogos de verão em Montreal crianças andam ao redor da festa na esperança de vender uma carga de algodão doce.
La International (Dir. Tatiana Mazú/ 13"/ Argentina)
Eu filmei a minha irmã discutindo com a minha mãe enquanto elas preparavam a ceia de natal. Eu a filmei em um campo de trabalhadores, em um piquete, cantando. Eu percebi, assistindo uma VHS, que eu estava filmando ela desde que nós éramos crianças. Aparentemente, de acordo com alguns versos da Internacional, o socialismo deveria ser algo como um paraíso de irmãos e irmãs.
Do portão para fora (Dir. Letícia Bina/16"40/ Brasil)
Jaqueline reestabelece a vida no lugar onde ela cresceu. Em menos de um anos após ter deixado a prisão, tornou-se mãe pela segunda vez e hoje compartilha o seu tempo entre o trabalho e as tarefas do lar.
Besieged Bread (Dir. Soudade Kaadan/ 11"45/ Síria)
Síria, 2015. Um longo dia de contrabando de pães para a área sitiada. Uma árvore é o seu único abrigo. Ele foge deixando tudo para trás; Ambos sabem que não existe escapatória.
Catatumbari (Dir. Oriana Contreras/ 6"57/ Venezuela)
Um dia na vida de Roque e Braulio. Enquanto Roque, um pescador que vive no Lago Maracibo ouve em um rádio antigo que o raio Catatumbo está prestes a desaparecer ele decide deixar o seu trabalho de lado e embarcar com o seu filho em uma viagem de barco onde passeia por paisagens naturais e chega a testemunhar onde brilhou a luz dos seus ancestrais pela última vez, a mesma luz que conecta-os com as suas próprias origens e com o mundo no qual vivem.
Quem matou Eloah? (Dir. Lívia Perez/ 24"/ Brasil)
Uma análise crítica da espetacularização da violência e da abordagem televisiva em casos de violência contra a mulher, revelando uma das razões pelas quais o Brasil é o quinto país com o maior número de assassinato de mulheres no mundo.
Halahaches (Dir. Alejandra Jaramillo/ 14"21/ Chile)
Baseado nas tradições da tribo Selk’nam, “Halahaches” conta a história de Telkoy, um adolescente inseguro e medroso que se prepara para os seus ritos de passagem na Terra do Fogo. Ele descobre que para tornar-se um homem, deve escolher entre seguir as crenças da sua tribo ou arriscar a sua vida para proteger a sua amiga Haikenna.
Entre andares (Dir. Aline van der Linden e Marina Maciel/ 14"42/ Brasil)
No centro de Recife, cinco pessoas resistem em um edifício em estado de degradação. Enquanto eles contam as suas histórias pessoais, memórias do edifício e da cidade são reveladas.
Meio fio (Dir. Denise Vieira/ 20"/ Brasil)
Karine acaba de se mudar para um conjunto habitacional ‘Minha casa, Minha vida’ em Águas Lindas, entorno do DF. Divide seu tempo entre arrumar a nova casa e fazer o seu programa de rádio, enquanto uma questão pendente do passado insiste em reaparecer.
A Grande Aventura. (Dir. Cassandra Oliveira/ 25"/ Brasil+Cuba)
Yolana (60) escreve roteiros para a rádio novela “A Grande Aventura da Humanidade”, da Rádio Progresso, em Cuba. Em sua novela, a escultora francesa Camille Claudel sofre de um amor que lhe leva à loucura e solidão. Enquanto escreve o roteiro e tenta envolver o seu filho no processo, o drama da novela envolve alguns dos seus próprios conflitos.

Serviço:
Clube de Cinema apresenta: Circuito Cineclubista FINCAR
Data: 24 de setembro
Horário: 18h30
Local: Espaço Caos - arte e cultura (Av. Procópio Rola 1572. Centro.)
Entrada franca

11/07/16

Clube de Cinema apresenta: Cineclubes Livres 2016


Criada em 2014 como um desdobramento da Mostra do Filme Livre (MFL), a ação CINECLUBES LIVRES realiza parcerias com iniciativas de todo o Brasil para a distribuição de filmes selecionados da Mostra. A cada ano, novos e maiores públicos vêm sendo atingidos, em uma constante busca pelo fortalecimento do cinema independente produzido no país.
Cineclubes Livres são zonas autônomas temporárias onde podemos sonhar com novos caminhos de distribuição do cinema brasileiro. Por diversas vezes na história, cineclubes, filmes, mostras, festivais e o público entraram na mesma sintonia para realizar o ritual cinematográfico e vislumbrar esses outros universos.
Entre os mais de cem cineclubes que vem construindo a história da ação, este ano a MFL destacou nove iniciativas que há dois anos contribuem para um cinema mais acessível. E o Clube de Cinema é uma delas!  
Este ano, repetimos a parceria com a MFL e trazemos ao público amapaense dois longas-metragens inéditos no Amapá. Confira a programação:

 Dia 23/07 – Sessão Premiados III
A SEITA (André Antônio, 71 minutos, 2015, PE)
Sinopse: 2040 foi um ano importante pra mim por duas razões. A primeira é que foi o ano em que eu decidi deixar as Colônias Espaciais e voltar a morar no Recife. A segunda é que foi em 2040 que eu descobri a existência da Seita.
Classificação indicativa: 16 anos

Dia 30/07 – Sessão Longa Livre
MATARAM MEU IRMÃO (Cristiano Burlan, 77 minutos, 2013, SP)
Sinopse: Reconstituindo os detalhes da morte de seu irmão, Rafael Burlan da Silva, ocorrida há 12 anos, o cineasta Cristiano Burlan lança-se a uma jornada pessoal que conduz ao coração de um círculo de violência em torno dos bairros da periferia paulistana, como o Capão Redondo, onde morava a família e o irmão, de 22 anos, foi morto com sete tiros, em 2011. Explorando as razões do envolvimento do irmão com drogas e roubo de carros, o diretor expõe partes de sua própria história familiar, ouvindo parentes e amigos, cujos depoimentos trazem à tona os destinos de diversos personagens, mapeando o histórico de dolorosas feridas emocionais.
Classificação indicativa: 12 anos


SERVIÇO:

Clube de Cinema + Mostra do Filme Livre
Datas: 23 e 30 de julho
Local: Espaço Caos - arte e cultura
Endereço: Avenida Procópio Rola 1572. Centro
Horário: 19h
Entrada franca
 

30/05/16

Clube de Cinema apresenta O COMEÇO DA VIDA





Quando você dá atenção ao começo da história, ela pode mudar por inteiro. A forma como as crianças vivem a Primeira Infância, desde a gestação até os 6 anos, é essencial para definir o futuro de cada uma delas. O Começo da Vida convida todo mundo a refletir: será que estamos cuidando bem dos primeiros anos de vida? Entendemos como investir no presente é capaz de definir - e mudar - o futuro da humanidade? 
O Começo da Vida é um documentário que mostra a importância dos primeiros anos da vida de uma criança. Dirigido por Estela Renner (Criança, a Alma do Negócio, Muito Além do Peso) e produzido pela Maria Farinha Filmes (Muito Além do Peso, Tarja Branca, Território do Brincar), o documentário foi filmado em nove países. Estela entrevista especialistas no desenvolvimento infantil e visita famílias das mais diversas culturas, etnias e classes sociais, para descobrir que proporcionar um ambiente com amor e segurança para as crianças nessa fase é o maior investimento que se pode fazer na humanidade.
O filme está disponível para exibição pública gratuita por meio da plataforma Videocamp, e o Clube de Cinema integra e fortalece essa rede de exibição, espalhada por todo o Brasil e exterior. 
Após a sessão, acontece um bate-papo aberto a todos os interessados em serem agentes dessa mudança, com xs participantes do grupo Ciranda Materna.

SERVIÇO:
Clube de Cinema: O Começo da Vida
Local: Espaço Caos - Arte e Cultura
Data: 04 de junho
Horário: 19h

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...